Entenda a importância de escolher um toner de qualidade para a impressora

Apesar de toda a digitalização e virtualização que invadiram o mundo corporativo, as impressões ainda têm seu lugar garantido no dia a dia dos escritórios. Seja para relatórios ou informativos, em vários momentos ainda é necessário recorrer ao papel. Por isso, é primordial se preocupar com importância de escolher o toner de qualidade.

Na verdade, o processo inicia antes: na escolha do equipamento para a impressão. Existem vários modelos de impressoras no mercado e saber qual o tipo de toner deve ser utilizado e qual a facilidade de encontrar originais e similares para elas é muito importante para evitar problemas posteriores.

Quer saber mais sobre os motivos para se importar com a qualidade do toner? Então continue lendo nosso artigo para entender tudo sobre o assunto.

Qual a importância de escolher um toner de qualidade?

O uso da impressora pode ser mais ou menos recorrente dependendo da empresa. Porém, de qualquer forma, a escolha por produtos de qualidade faz muita diferença no resultado.

Veja, a seguir, o que você deve pensar na hora de adquirir o toner e as razões pelas quais é importante avaliar bem a sua compra.

Garantir o bom desempenho da impressora

Ao optar por itens de boa qualidade, a primeira grande vantagem está em manter o desempenho da sua impressora e evitar o desgaste desnecessário. A utilização de um toner ruim pode acarretar em vazamentos que estragam o equipamento.

Evitar desperdícios

Equipamentos mal regulados resultam no aumento de gastos com tinta e, consequentemente, no acréscimo dos custos com toner e papel. Além do mais, isso pode levar à desconfiguração da impressora e à necessidade de manutenção. Sendo assim, investir em produtos de qualidade ajuda a evitar esses desperdícios.

Procurar durabilidade e rendimento

Toners de qualidade apresentam maior durabilidade, pois têm rendimentos superiores. Independentemente de comprar itens originais ou compatíveis, seguir alguns cuidados ajuda a aumentar a performance o seu tempo de vida útil:

  • tenha cuidado ao manusear e evite movimentos bruscos;
  • não fique muito tempo sem imprimir;
  • realize testes de impressão após a troca;
  • armazene em locais adequados.

Fazer a relação entre custo e benefício

Já que, ao adquirir insumos de qualidade você garante o bom desempenho da impressora, evita desperdícios e, ainda, aumenta a durabilidade do toner, a relação custo-benefício ao optar por esses produtos é evidente. No caso da escolha por compatíveis, os custos podem ser reduzidos entre 30% e 40%.

Aumentar a qualidade da impressão

Ao imprimir um documento, o mínimo que se deseja é que seja feito com qualidade para que possa ser lido ou apresentado adequadamente. Um toner de procedência duvidosa pode, muitas vezes, reproduzir páginas mal impressas e com falhas. Se você utiliza bons produtos, isso não acontece.

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, os toners compatíveis apresentam o mesmo potencial de qualidade e durabilidade dos originais (devido à tecnologia atual) e não deixam nada a desejar, basta que você opte por empresas que sejam qualificadas para isso.

É o caso da Colortek, que produz produtos modernos, desenvolvidos fora do Brasil, considerada a melhor marca para atender às necessidades dos clientes. São cartuchos com ótimos custos e que mantêm a qualidade e a rentabilidade.

Diferentemente de muitas previsões, as impressoras continuam sendo indispensáveis no ambiente empresarial e devem continuar assim por muito tempo.

Nessa esfera, é extrema a importância de escolher o toner adequado, já na compra do equipamento. Independentemente de adquirir toners originais ou compatíveis, a opção por um produto de qualidade traz tranquilidade nos resultados e mais vantagens competitivas.

Então, qual a sua experiência com o assunto? Tem mais dicas para compartilhar conosco sobre a qualidade de toners de impressão? Deixe seu comentário e aproveite para assinar a nossa newsletter para ficar por dentro de todas as novidades.

O que é necessário para um projeto de segurança eletrônica? Descubra!

A criminalidade e a sensação de insegurança tiram o sono de muitos cidadãos de bem. Em contrapartida, as ações preventivas pontuais, como o cuidado ao sair de casa e ao andar por locais perigosos, não são suficientes para proporcionar a tranquilidade desejada.

Diante disso, contar com um projeto de segurança eletrônica em sua residência ou local de trabalho é fundamental para garantir uma defesa mais efetiva. Contudo, para alcançar a eficiência esperada, é importante estar atento a alguns detalhes durante a sua elaboração.

Neste artigo, veja quais são as práticas essenciais para assegurar a melhor proteção com o menor custo possível. Confira!

Análise das necessidades do cliente e diagnóstico de riscos

O primeiro ponto de análise para a elaboração de um bom projeto de segurança eletrônica é entender as necessidades do cliente e quais são os riscos que ele corre. Sendo assim, cada caso deve ser tratado individualmente.

Entre as principais características a serem avaliadas, estão:

  • rotina e volume de circulação do local;
  • quantidade de unidades residenciais ou comerciais, em caso de condomínios;
  • existência de itens de valor;
  • índice de criminalidade da região;
  • facilidade ou dificuldade de acesso ao local;
  • policiamento da região.

Essas informações ajudam a identificar detalhes como a necessidade de certos equipamentos e a melhor distribuição deles na propriedade.​

Indicação dos equipamentos eletrônicos necessários

Para garantir a máxima segurança possível, o uso de equipamentos eletrônicos é crucial. Novamente, a definição de quais e quantos devem ser instalados varia conforme o levantamento das informações do tópico anterior. Em geral, os mais utilizados são:

  • sistema de alarme;
  • controle de acesso (carros e pedestres);
  • CFTV (circuito fechado de televisão).

​Dentre eles, o CFTV merece destaque. A presença de câmeras de segurança ajuda a inibir a ação de criminosos e a identificá-los caso algum delito seja cometido.

O uso desse tipo de equipamento é fundamental para ter um projeto de segurança eficiente e completo. Existem diversas marcas disponíveis no mercado, como a Intelbras e a D-link, que são referência no segmento.

As câmeras podem ser analógicas, mas, atualmente, as mais utilizadas são as que contam com tecnologia IP. Além de produzirem melhores imagens, elas necessitam de menos infraestrutura e podem ser acessadas via internet. Inclusive, existem modelos que se integram ao sistema de alarme e, por meio de sensores de movimento, são ativados e começam a registrar e enviar imagens.

Detalhamento dos custos do projeto de segurança eletrônica

Por fim, é importante lembrar da parte financeira do projeto. As melhores soluções não serão aquelas que proporcionam total segurança, mas sim as que conseguirem oferecer a melhor relação custo-benefício.

Equipamentos de última geração e alta tecnologia são mais caros e podem ser desnecessários conforme o cenário. Entretanto, ao contar com equipamentos de qualidade, fica muito mais fácil garantir a eficiência do projeto de segurança eletrônica e, com isso, a satisfação de quem for se beneficiar dele.

Gostou deste artigo? Que tal aprender um pouco mais sobre o assunto? Então, conheça os principais desafios do mercado de segurança eletrônica em nosso blog.

Se quiser receber conteúdos como este diretamente em seu e-mail, cadastre-se na nossa newsletter.

Como explicar a história informática para uma criança de 5 anos

O computador é formado pelo conjunto de hardware e software. O primeiro refere-se apenas aos componentes físicos que compõem a máquina e o segundo já remete aos programas.

O HD é um dispositivo de hardware fundamental para a estrutura de uma máquina. A sua principal função é armazenar dados para o processamento. O HD armazena o conteúdo utilizado no PC mesmo depois de desligado e ajuda a executar programas. 

O primeiro HD ou disco rígido como  também é conhecido foi desenvolvido em 1957, como um equipamento altamente complexo e logo se mostrou inovador para a época, que permitia a gravação e leitura de dados. O HD adota uma estrutura moderna que recebe influência de um campo magnético. Quando acontece a remoção do HD, também são retiradas do computador todas as informações que estavam inseridas nele.

Hoje em dia, as opções de armazenamento de arquivos estão cada vez mais evoluídas e de fácil acesso. O HD externo, uma das ferramentas mais procuradas para armazenamento de arquivos é uma excelente alternativa para quem precisa ter os arquivos sempre consigo e procura por maior segurança e rapidez do que outros dispositivos como o pen drive, já que muitos HDs externos oferecem backup automático de seus arquivos e outras facilidades como tempo reduzido de busca (costuma ser de até 2ms para alta performance) e proteção de dados.

A Gaúcha Distribuidora, juntos aos seus parceiros de vendas, possuem um MIX completo de produtos de informática que atendem a todas as necessidades do mercado, nos segmentos de Conectividade, Energia, Acessórios e Periféricos, Insumos, Toner, Telefonia, Automação, Mídias, Cartuchos, e entre outros.

Breve história do computador

A história do computador é subjetiva. Existem fontes que afirmam que o PC de hoje é uma evolução da calculadora. Tomando por base essa informação, o desktop é a evolução do Ábaco, que foi a primeira  máquina de calcular da história.  
Por outro lado, depois da Revolução Industrial, as máquinas popularizaram-se durante o século XX.  Alan Turing, ao longo da Segunda Guerra, trabalhou na criação de uma máquina que baseava-se na desencriptação de mensagens inimigas. No entanto, a história do computador segue simultaneamente a história da comunicação. 

Aproveite o agora, e acesse o www.gauchadistribuidora.com.br e realize suas compras on-line disponível a qualquer hora do dia e da noite, e fique por dentro das ofertas e as melhores formas de pagamento do mercado.

Curta a nossa página no facebook e fique por dentro do melhor conteúdo

www.facebook.com/GauchaInformatica

Fonte: blogcamp.com.br

Recarga de toner na loja pode ser a saída para tempos de crise!

Assim como a impressora, os suprimentos que garantem seu funcionamento têm grande importância nas empresas. No entanto, o alto custo dos cartuchos e toners era uma grande dor de cabeça para os departamentos de compras. Consequentemente, o mercado de informática também foi prejudicado, com quedas no número de vendas. Visando eliminar esse problema, a saída adotada foi passar a recarregar toner na loja de informática.

Neste post, explicaremos por que ter esse tipo de serviço é uma ótima estratégia para quem deseja aumentar o lucro dentro do mercado. Confira!

Afinal, por que devo ter a recarga de toner na loja?

Hoje, cerca de 40% dos cartuchos e toners retornam às lojas e são revendidos por um preço inferior ao do original. Visando manter a mesma qualidade do produto novo.

Veremos, a seguir, alguns dos motivos que confirmam os benefícios para seu negócio ao investir nesse serviço.

Atração e fidelização de clientes

Se você deseja conquistar novos consumidores, a recarga de toners pode ser uma forte aliada. Clientes com uma grande demanda de impressão são mais frequentes e retornam mais à sua loja. Esse é um bom momento para realizar ações de marketing para encantá-los e fidelizá-los à marca.

Assim, temos como resultado um consumidor que também ajuda a propagar o seu negócio. No mercado da informática, é comum que seus clientes se fidelizem à sua empresa. Assim, eles falam bem e indicam seu serviço de recarga para amigos, familiares e até para alguma empresa.

Alta demanda do mercado de recarga de toners

Com a popularização das impressoras, inicialmente, o custo para adquiri-las era elevado. Mas, visando garantir a sobrevivência da tecnologia, a indústria reduziu esses valores, contudo, alavancando o preço dos suprimentos. Ou seja, era fácil comprá-las, mas mantê-las, não.

O toner remanufaturado foi a saída encontrada para diminuir o impacto financeiro dos suprimentos. Hoje, muitas empresas preferem adquirir esse tipo de toner, que, ao mesmo em tempo que entrega impressões de qualidade, é muito mais econômico.

Investimento acessível

O investimento a ser feito para oferecer esse serviço é relativamente baixo, podendo variar de acordo com a demanda. Para quem já possui um ponto de venda, a adaptação é ainda mais fácil, focando nos equipamentos específicos para a recarga e na capacitação dos colaboradores para executar a tarefa com eficiência.

Venda de produtos complementares

Outro grande benefício de oferecer esse serviço é o surgimento de oportunidades de vendas. Ao estreitar a relação com o cliente, você elimina barreiras na jornada de compra, facilitando o oferecimento de novos produtos. A estratégia pode ser ainda mais eficiente se você investir em produtos complementares ao funcionamento da impressora.

Como você pode perceber, recarregar toner na loja de informática é uma estratégia que só tem benefícios a agregar. Dessa forma, é muito importante contar com bons fornecedores de equipamentos e insumos de qualidade para que, assim, o serviço final seja de alto valor ao consumidor, trazendo resultados positivos ao seu negócio.

E aí, gostou do conteúdo? Caso tenha se interessado por esse assunto, entre em contato conosco! A Gaúcha Distribuidora é especialista em recargas de toners, converse com a gente e descubra como podemos te ajudar a ter um serviço eficiente e lucrativo!

PC Gamer: a importância de investir nesses produtos!

Você sabia que o uso de PCs gamers cresce ano a ano no Brasil? Isso mesmo, ao contrário de outras áreas, o mercado de games, no Brasil se expande notoriamente. Continue lendo e descubra por que a popularização de eSports no Brasil impacta na venda de produtos gamers.

O Brasil é o maior consumidor de jogos digitais da América Latina e o quarto no mundo em consumo dessa tecnologia. Pode parecer brincadeira, mas o país movimenta cerca de US$1,3 bilhão por ano. O mercado gamer cresce de maneira significativa e, com isso chama a atenção de investidores.

Ficou interessado? Então continue lendo e fique por dentro do acontece nesse mercado promissor

Como é o mercado gamer no Brasil?

Apesar de ser o quarto maior consumidor de games no mundo, o Brasil ainda não explora todo o potencial do segmento de games. Mas com o crescimento das possibilidades, o mercado gamer tem feito as pessoas a verem os games de outra maneira. O que para alguns era diversão para outros é profissão.

Segundo a Game Brasil, 65% dos pais acham que, se os games forem usados de maneira disciplinada, podem contribuir na construção do perfil e no desenvolvimento do raciocínio lógico. Mas o apoio dos pais fica mais fácil para surgimento de novos gamers.

Esporte eletrônico ou eSports, são termos usados para se referir às competições de jogos eletrônicas. Essa nova modalidade de esporte tem sido tendência, e vem constantemente aumentando o número de espectadores. O mercado profissional de jogos digitais tem um grande potencial e para algumas modalidades ganhou espaço na televisão.

Quais são os eventos que acontecem no Brasil?

Com tanta novidade e uma indústria em crescente desenvolvimento, o mercado gamer no Brasil, é estimulado por meio de grandes eventos, que viabilizam a troca de experiências, exposições de novas tecnologias e a divulgação das criações. Entre os eventos mais conhecidos estão a Campus Party São Paulo, Brasil Game Show e Game XP.

Como é o desempenho do mercado gamer na crise?

O mercado de games no brasil tem se mostrado otimista mesmo em meio à crise. Em 2018 deve movimentar mais de US$ 1,5 bilhão, além de contar com mais de 15,6 milhões de jogadores.

O aumento de jogadores tem trazido investidores para a área. No Brasil 375 empresas produzem games e segue com um crescimento acentuado, esse número é 180% maior em comparação com os números de quatro anos atrás.

Com a popularização dos eSports, o mercado brasileiro tem se tornado uma grande oportunidade de negócio para empresas e profissionais da área. O Brasil possui o maior mercado de jogos da América Latina e isso cria uma excelente oportunidade para quem vende produtos desse segmento.

Não há dúvidas que esse público tem crescido mesmo em meio à crise. Dessa maneira só falta saber como atrair novos fãs desse segmento para sua loja, com o intuito de agradá-los

Aproveitando a visita, siga nossa newsletter para ficar por dentro do que acontece no mundo gamer, e de novas tendências.

Aprenda como escolher a placa de vídeo ideal para o seu PC!

O mercado da tecnologia avança a cada dia, e novos dispositivos para computadores estão surgindo. Por isso, acompanhar esse segmento exige atenção, e quem atua na área de informática deve entender como essas mudanças podem alterar a performance do setor de TI.

Uma peça bastante importante nos computadores são as placas gráficas e saber como escolher placa de vídeo certa para sua demanda é essencial.

O mercado da tecnologia avança a cada dia, e novos dispositivos para computadores estão surgindo. Por isso, acompanhar esse segmento exige atenção, e quem atua na área de informática deve entender como essas mudanças podem alterar a performance do setor de TI.

Uma peça bastante importante nos computadores são as placas gráficas e saber como escolher placa de vídeo certa para sua demanda é essencial.

O mercado de GPUs apresenta proporcionalidade entre preço e performance. Ou seja, quanto mais caro você pagar por essa peça, melhor será o desempenho dela. Entretanto, tudo isso depende do conjunto computacional que você tem disponível e de quais são as suas necessidades.

Pensando nisso, preparamos este texto para que você aprenda como escolher o melhor modelo para o seu PC. Confira agora!

Determine suas necessidades

Embora uma placa de vídeo de boa qualidade possa cumprir com variados usos, na hora de comprar, é fundamental estar atento para não pagar muito por um desempenho que você não vai utilizar por completo. No entanto, é preciso levar em consideração também o efeito contrário.

Quem pretende adquirir um modelo intermediário ou de baixo custo deve observar se a placa vai atender aos requisitos recomendados para a atividade. No caso de jogos, por exemplo, veja se ela cumpre com as funções da maioria dos games que você pretende jogar.

Para quem atua com edição de imagens, vídeos e outras tarefas relacionadas a design, é importante optar também por placas intermediárias ou avançadas, pois, dependendo do programa utilizado, GPUs com grande potência podem fazer muita diferença para quem trabalha com ferramentas tridimensionais.

Identifique as especificações do PC

Geralmente, computadores portáteis e laptops apresentam placas de vídeo integradas. Elas são soldadas na placa-mãe e não podem ser substituídas, o que elimina a possibilidade de uma possível substituição. Isso também vale para tablets que têm o processamento gráfico em um chip dedicado.

A memória RAM de um computador também influencia na hora de saber como escolher placa de vídeo, assim como a potência da sua fonte. Modelos de maior desempenho exigem processamento, quantidade de memória e potência de energia bem maiores, quando comparados com placas mais modestas.

Quando uma fonte, por exemplo, não consegue fornecer energia suficiente para a placa de vídeo, o computador vai desligar, pois aquele modelo exige uma alimentação mais potente.

Você precisará de uma entrada baseada em PCI Express na placa-mãe para o funcionamento da placa gráfica. Como o mercado computacional evolui de forma rápida, raramente você vai dar um upgrade nesse componente sem levar em consideração a mudança de outras peças do computador. Então, fique atento a isso!

Observe as marcas e os preços disponíveis

A Nvidia e a AMD são as marcas predominantes no mercado e produzem boas placas de vídeo para fins de trabalho e diversão, ambas são capazes de suprir as necessidades dos usuários. O valor varia de um modelo para outro e você deve saber exatamente qual o seu objetivo com esse componente para definir qual comprar.

A Nvidia GTX 1060, por exemplo, é uma ferramenta ótima para jogos atuais, mas também é utilizada em empresas de TI ou nas máquinas voltadas para mineração.

Compre em uma empresa especializada no setor

Existem empresas especializadas em componentes de computador e escolher uma que ofereça todo o suporte necessário é fundamental. Muitas vezes, os usuários optam por aquele preço mais chamativo, mas se esquecem de observar se a loja de informática fornece suporte técnico, garantia etc. Ao final, isso pode significar dor de cabeça para quem deseja comprar uma placa gráfica.

Sendo assim, para saber como escolher placa de vídeo, é preciso considerar vários fatores e sempre buscar o equilíbrio entre o que você realmente quer comprar e se esse modelo cumpre com as especificações necessárias. Considere todos os componentes da máquina na hora de escolher esse importante item de um computador.

E aí, gostou deste post? Se você está procurando por placa de vídeo, conheça agora os nossos modelos!

Quer receber mais conteúdos relevantes como este que você acabou de ler? Assine nossa newsletter!

 

Problemas com recarga de toner e cartucho? Faça isso!

A utilização de impressoras no dia a dia é cada vez mais comum nas empresas. Ao longo do dia imprimimos diversos relatórios, comprovantes e tantos outros documentos. Todo esse processo desgasta os equipamentos, além de gerar custos tanto com manutenções e insumos. Você sabia que o seu toner ou cartucho pode ser recarregado?

É nesse contexto que se constata a importância de recarregar toner e cartucho, uma prática que gera diversos benefícios. Continue a leitura para saber mais sobre o assunto!

Diferenças entre toner e cartucho

Primeiramente, é interessante conhecer as diferenças entre esses dois suprimentos que atendem aos mais variados tipos de impressoras:

  • toner: carregado com pigmentos em pó nas cores primárias (ciano, magenta, amarelo e preto) ou somente preto, é utilizado para abastecer as impressoras laser. Ao ser aquecido, o pó transfere a imagem para o papel;
  • cartucho: abastecido com tinta líquida, também nas cores primárias ou somente preto, é utilizado nas impressoras jato de tinta. O líquido é liberado no papel de acordo com a matriz, na necessidade exata, sem contato com o mecanismo.

Outros pontos que distinguem esses suprimentos são:

  • aparência: são bem diferentes, tanto na forma quanto no tamanho (o toner é maior que o cartucho);
  • velocidade: em função da tecnologia que cada um utiliza, a impressão a laser é mais rápida do que a realizada por meio de jato de tinta;
  • durabilidade: o toner tende a durar mais que o cartucho, devido ao acondicionamento de pó render mais.

A importância de recarregar toner e cartucho

Independentemente do modelo de impressora que sua empresa utiliza, aderir à prática de reutilização dos suprimentos é uma forma consciente de reduzir os custos com material e estar em sintonia com as causas ambientais.

A escolha por profissionais capacitados e o uso correto garantirão uma recarga eficiente e sem perda da qualidade na impressão dos documentos.

Benefícios da recarga

Conheça, a seguir, as principais vantagens de fazer a recarga de toners e cartuchos.

Preservação do meio ambiente

Ao realizar a recarga, sua empresa colabora para a preservação do meio ambiente, uma vez que a reciclagem reduz a possibilidade de descartar na natureza um produto que pode demorar de 450 a 1.000 anos para se decompor e evita a desperdício dos materiais utilizados em sua fabricação, como petróleo.

Redução de custos

Uma recarga pode ser até 50% mais barata que a compra de um toner ou cartucho novo. Valores gastos para adquirir cerca de 4 unidades desses suprimentos podem ser suficientes para comprar uma impressora nova.

Essa redução de custos possibilita que a sua empresa concentre os investimentos em áreas mais estratégicas para o negócio.

Liberdade de escolha

A partir da decisão de não adquirir o toner ou o cartucho original, você tem a liberdade de escolher entre as empresas que realizam recargas e distribuem produtos compatíveis. Dessa forma, você pode analisar e optar por aquela que oferecer mais vantagens e melhores serviços.

Diante dos benefícios apresentados, é inegável a importância de recarregar toner e cartucho, não é mesmo? Essa prática contribui para o mercado, para a economia financeira do seu negócio e para a preservação do meio ambiente.

Essas dicas foram úteis para você? Então, siga a nossa página no Facebook para continuar por dentro desses assuntos.

Aproveite a visita e assine a nossa newsletter para receber as novidades do blog na sua caixa de e-mail!

Como vender mais em épocas de crise? Saiba agora!

A retração econômica que presenciamos causou um dilema muito grande em empresas de diversos setores. Fatores como aumento do desemprego e diminuição do poder de compra das pessoas afetam diretamente o volume de vendas do comércio. Então, como vender mais na crise e manter o negócio vivo no mercado?

O desafio aumenta, mas não é impossível de ser vencido. Porém, é preciso adotar algumas estratégias específicas para garantir resultados melhores.

Portanto, vamos dar dicas valiosas que proporcionarão um acréscimo significativo nas vendas da sua loja. Fique atento e boa leitura!

Mantenha o pensamento positivo

Manter o pensamento positivo é fundamental para superar os momentos de dificuldades. Afinal, como vender mais na crise se você não acreditar que realmente pode? O pensamento negativo pode impedir que as pessoas tentem e se esforcem.

A positividade ajuda a deixar toda a equipe mais confiante e envolvida com as metas de vendas. Sendo assim, o primeiro passo é não desistir antes de tentar. É muito mais fácil conseguir bons resultados quando todos estão se esforçando voluntariamente.

Valorize o bom atendimento

O bom atendimento não deve ser encarado como um diferencial. Do ponto de vista do cliente, sua loja tem a obrigação de atendê-lo bem. Ele não está errado.

Sendo assim, é essencial que todos os funcionários sejam orientados com relação a isso. A excelência no atendimento deve ser um valor enraizado na cultura da empresa.

Inclusive, isso ajuda a fidelizar a freguesia e, ainda, a conquistar novos consumidores. Lembre-se que uma pessoa satisfeita indica seu estabelecimento para outras pessoas. A indicação é um dos principais fatores de aquisição de clientes.

Adote estratégias de marketing digital

O marketing evoluiu bastante nas últimas décadas. Principalmente o digital. É importante ressaltar que houve uma mudança no comportamento de compra. Sendo assim, além do fator econômico, é preciso considerar a internet.

Algumas estratégias têm custos bem baixos e podem gerar resultados surpreendentes. Uma delas é utilizar as redes sociais como ferramenta de divulgação e aquisição de clientes. Por meio delas, você pode ter um contato mais próximo com eles e criar anúncios mais direcionados.

Invista na prática do upsell e cross sell

Como já abordamos neste texto, existem diferenças importantes entre vender para a própria base e para novos clientes. Principalmente quando tratamos de custos e rentabilidade. Sendo assim, é importante investir no uso do upsell e do cross sell.

Ambos consistem em vender mais produtos para o mesmo cliente. O upsell acontece quando você vende algum adicional ao produto adquirido. Já o cross sell é caracterizado pela venda de um produto relacionado.

Na prática, digamos que o cliente queira comprar um notebook que tem 4GB de memória RAM. O upsell seria vender para ele uma memória adicional de 4GB, totalizando 8GB. O cross sell, seria oferecer teclado e mouse sem fio.

Concluindo, o aumento das vendas pode vir de diversas estratégias. É fundamental ter consciência de que essas ações são necessárias para garantir a sobrevivência do negócio frente a retração econômica.

Agora que você já viu como vender mais na crise, basta começar a implementar as dicas e começar a ver os resultados! Se você gostou desse post, deixe um comentário. A sua opinião é muito importante para nós!

Quer receber conteúdos como este em seu e-mail? Então, cadastre-se em nossa newsletter!

Computador completo e mais rápido? Veja como!

O computador começou a ficar lento? Calma! Nem sempre isso significa que chegou a hora de trocar o seu PC. Trouxemos algumas dicas de como deixar o computador mais rápido e identificar a necessidade de melhora no desempenho.

A evolução dos aplicativos, sistemas e ferramentas utilizadas no dia a dia exige, cada vez mais, uma melhor performance do computador. Tarefas simples como a abertura de páginas da web, a execução de programas e até mesmo a inicialização do sistema operacional, podem se tornar uma dor de cabeça para quem precisa de um PC rápido e funcional.

Algumas boas práticas ajudam a melhorar consideravelmente o desempenho da sua máquina e podem alertar sobre a necessidade de trocar seu computador ou fazer aquele upgrade em algumas peças.

Vamos ao que interessa! Confira 5 dicas de como deixar o computador mais rápido. Acompanhe!

1. Mantenha o Windows atualizado

As mensagens do Windows Update surgem de repente e, às vezes, incomodam quando você está no meio de um trabalho e não quer ser interrompido por uma reinicialização — que pode ser demorada. Mas você pode optar por agendar as atualizações para um período em que o PC não esteja sendo utilizado.

As atualizações são fundamentais para otimizar o desempenho da máquina e corrigir erros do próprio sistema. Com o Windows atualizado, a tendência é que as falhas diminuam e a segurança aumente.

2. Atualize o antivírus

Vírus se instalam na sua máquina sem que você perceba e executam processos em segundo plano, consumindo memória e processador para executar suas ações maliciosas, como roubo de senhas e dados confidenciais, exibição de anúncios e contaminação de pen drives.

Portanto, é fundamental que o antivírus esteja atualizado. Manter as atualizações automáticas do antivírus ajuda a proteger seu PC das ameaças mais recentes, as quais um banco de dados desatualizado não é capaz de identificar.

3. Faça a limpeza dos arquivos

Fazer uma limpeza de arquivos temporários, lixeira e atalhos na área de trabalho vai deixar o computador mais rápido, além de facilitar o acesso aos arquivos que você mais precisa e liberar espaço para arquivos realmente úteis.

O Windows disponibiliza uma ferramenta para isso. Se for a versão 8 ou posterior, basta digitar “Limpeza do Disco” na caixa de pesquisa. Na versão 7, clique em “Iniciar”, “Acessórios”, “Ferramentas do Sistema” e procure a opção “Limpeza de Disco”.

Uma opção para deixar seu PC mais rápido é o uso combinado entre SSD e HD, utilizando o primeiro para o sistema operacional e programas, e o segundo para arquivos e documentos.

4. Desinstale programas desnecessários

Alguns programas inicializam junto com o Windows. Isso afeta diretamente o desempenho da máquina, causando lentidão quando o computador é iniciado. Se o seu PC está demorando muito para carregar a área de trabalho, seu problema pode ser esse.

Depois de identificar e desinstalar o que não é necessário, você pode gerenciar os programas que inicializam junto com o Windows, por meio do gerenciador de tarefas. Clicando com o botão direito na barra de tarefas, selecione “Gerenciador de Tarefas”; em seguida, acesse a aba “Inicializar”, selecione o que não deve iniciar automaticamente e clique em “Desabilitar”.

5. Utilize somente o necessário

Utilizar muitas abas abertas no navegador é uma das melhores maneiras de “sugar” a memória disponível. Ficar abrindo uma aba toda vez que você precisar acessar um determinado endereço da web prejudica de forma considerável o desempenho do seu PC. Por isso, procure utilizar o menor número de abas possível, fechando as que você não precisa no momento.

Fechar os programas que não estão sendo utilizados também é uma forma eficaz de poupar o uso de memória e processamento. Se uma tarefa precisa apenas de um programa, deixe apenas o necessário em execução.

Caso essas dicas não tenham ajudado a deixar o computador mais rápido, pode ser que esteja realmente na hora de fazer um upgrade. Considere a opção de trocar algumas peças ou investir em uma nova máquina. Para acertar na decisão, leia o nosso post sobre quando comprar um computador novo.

Gostou das dicas? Cadastre seu e-mail e receba nossa newsletter com mais conteúdos como este! Aproveite e visite nosso site e siga nossos perfis nas redes sociais: FacebookInstagramTwitter e LinkedIn!

Câmeras de segurança: os 3 principais desafios!

Com o constante aumento nos índices de criminalidade nas cidades de todo o país, o mercado de segurança eletrônica tem ganhado cada vez mais destaque. De acordo com a Associação Brasileira de Segurança Eletrônica — Abese, o setor vem apresentando crescimento médio de 8% nos últimos 5 anos.

Contudo, essa é uma área que enfrenta diversos desafios. As constantes atualizações tecnológicas acabam pesando nos custos de algumas soluções mais avançadas. Além disso, a concorrência com o mercado clandestino ainda é muito alta.

Quer saber mais sobre como está o cenário atual e quais são os principais desafios enfrentados pelas empresas que prestam esse tipo de serviço? Então confira nosso post agora mesmo!

Cenário atual do mercado de segurança eletrônica no Brasil

O cenário do mercado de segurança eletrônica é considerado positivo e promissor. Afinal, o faturamento do setor foi de mais de R$ 6,04 bilhões em 2017.

O principal responsável por esse bom resultado foi o crescimento na procura pelos CFTV’s, principalmente residenciais, e pela portaria remota.

Isso mostra um aumento da preocupação da população com a segurança de suas residências. Além disso, equipamentos com tecnologia avançada, como câmeras IP e sistema de alarmes, têm se tornado cada vez mais acessíveis às pessoas.

Com a economia apresentando sinais de retomada, a previsão é de que o crescimento seja ainda maior em 2018.

Principais desafios do setor

Apesar do cenário favorável, os desafios existem e merecem nossa atenção. Por isso, apresentamos os 3 que causam mais impactos se não forem observados com cautela. Confira!

1. Atualização constante

Não há como negar a inteligência das pessoas mal-intencionadas. Mesmo que elas não a utilizem de forma honesta, o fato é que, por causa delas, os equipamentos precisam ser atualizados constantemente.

Dessa forma, alguns deles acabam tendo um tempo de vida útil encurtado, o que provoca a necessidade de substituição de tempos em tempos e, consequentemente, o aumento nos custos de manutenção da eficácia do projeto de segurança.

2. Custos com investimento

Alta tecnologia custa caro e, nessa área, quanto mais moderna ela é, mais segurança ela garante. Sendo assim, os melhores projetos também são os que demandam mais investimentos.

O principal desafio aqui é que nem sempre é fácil convencer os clientes a respeito disso. Assim, é preciso ter “jogo de cintura” para conseguir negociar um projeto que garanta uma boa segurança e que não prejudique a margem de lucro da prestadora do serviço.

3. Clandestinidade

Infelizmente, o Brasil é um país que sofre com a clandestinidade em todos os tipos de negócio. Para fugir de taxas e de impostos, muitas pessoas oferecem serviços e equipamentos de segurança eletrônica por valores mais baixos no mercado. Com isso, as empresas sérias e corretas acabam sendo prejudicadas.

Por isso, é essencial alertar os clientes sobre os riscos de fazer negócio com esse tipo de pessoa. Um bom argumento é questionar se ele confia a sua própria segurança e a de sua família a uma empresa que não cumpre a lei.

Como vimos, o mercado de segurança eletrônica tem seus desafios, mas também tem uma excelente perspectiva. Conhecendo ambos os lados, fica mais fácil de traçar as melhores estratégias e obter sucesso.

Se você gostou deste texto, compartilhe-o com seus amigos nas suas redes sociais!

Caso você queira receber conteúdos exclusivos como este em seu e-mail, assine agora mesmo nossa newsletter! Até a próxima!

Conheça 5 itens essenciais para toda loja de informática

O que não pode faltar numa loja de informática? Atendimento diferenciado, produtos de qualidade, boa divulgação e confiança dos clientes são fundamentais. Mas o principal para se ter sucesso, sem dúvida, é a variedade de produtos. Assim, é possível atender uma maior quantidade de clientes de diversos perfis. Mas fique atento, existem itens essenciais na loja de informática. Confira!

1. Cartuchos e toners

Ter disponível para venda uma variedade de suprimentos para impressoras é uma ótima forma de se fidelizar um cliente. Esses insumos, tanto cartuchos de jato de tinta quanto toners para impressão a laser, atendem tanto o cliente doméstico como empresas.

Nas empresas, o uso frequente de toners faz com que a compra seja recorrente, abrindo uma possibilidade de manter o cliente fiel à loja. E quanto maior a variedade dos suprimentos, maior a possibilidade de vendas.

2. Dispositivos de armazenamento (HDs, SSDs e pen drives)

Mesmo com o armazenamento em nuvem sendo um diferencial hoje, muita gente não abre mão de um bom pen drive para guardar seus dados. A facilidade de levar sempre as informações com você e acessá-las mesmo sem internet faz do pendrive um item indispensável numa loja de informática.

Quanto aos HDs e SSDs, a procura é constante, tanto para repor uma peça danificada como em ocasiões em que o cliente deseja fazer um upgrade em seu computador. Sem falar que o Mercado Gamer cresce a cada dia, e a procura por peças com maior desempenho da máquina, como o SSD, acompanha essa tendência. Você sabe a diferença entre um SSD e um HD?

3. Roteadores Wi-Fi

Atualmente, o acesso à internet é praticamente indispensável. Seja para entretenimento ou negócios, em casa ou no trabalho, o uso de internet é quase fundamental. E, para evitarmos incômodos durante  estes momentos devemos contar com um bom roteador.  Desta forma, é necessária uma boa conexão de internet e um sinal Wi-Fi capaz de alcançar os smartphones, notebooks e smart TVs presentes no ambiente.

Nem sempre o roteador convencional que a empresa de telefonia instala é capaz de atender essa demanda. Por isso, ter  roteadores  disponíveis em sua loja de informática é essencial para atrair clientes, domésticos ou corporativos que precisam distribuir o sinal por meio de pontos de acesso.

4. Periféricos

O uso regular dos periféricos de informática faz com que eles se desgastem naturalmente, causando uma reposição frequente. É indispensável ter uma variedade de periféricos disponível, em sua loja de informática.

Mouses, teclados, cabos de energia, USB, HDMI, fones, headsets, fontes, entre outros, são itens essenciais na loja de informática. A procura por esses itens é sempre alta e é fundamental tê-los em estoque para atender às exigências dos diferentes tipos de clientes.

5. Nobreaks e estabilizadores

Ninguém quer perder um aparelho ou dispositivo por conta de uma oscilação da rede elétrica. Por isso, muitos clientes procuram por produtos que possam garantir o fornecimento adequado de energia a seus equipamentos.

Nobreaks e estabilizadores garantem o fornecimento de energia ideal. Também evitam que computadores, impressoras e TVs sejam danificados por um eventual pico de energia. Afinal, melhor investir na prevenção do que na troca ou conserto de um aparelho, sendo a segunda opção bem mais cara.

Assim, nobreaks e estabilizadores entram nessa lista de itens essenciais, devi à segurança que promovem aos clientes.

Agora que você conhece os itens essenciais na loja de informática, entre em contato conosco e conheça nossa variedade de produtos e condições de entrega.

Gostou do conteúdo? Então cadastre seu e-mail e receba nossa newsletter com mais dicas como essas!

Como deixar o wi-fi mais rápido? Veja 5 dicas incríveis!

A tecnologia wi-fi é grande aliada no mundo corporativo. A possibilidade de conexão de vários tipos de dispositivos simultâneos, bem como o seu caráter de mobilidade, transformaram essa conexão na principal utilizada no Brasil e no mundo.

Segundo estimativas da Cisco Systems, até 2020, serão mais de 50 milhões de aparelhos conectados à internet. Com tantas coisas para interligar, o desafio tem sido deixar o wi-fi mais rápido e de forma a continuar sendo um potencializador de negócios.

Quer saber como impulsionar sua internet? Continue lendo e vejas as dicas para navegar tranquilo.

O papel do roteador

Caso não esteja satisfeito com a velocidade da sua internet, pode não ser culpa da operadora. A escolha correta do equipamento adequado é determinante para que você tenha o desempenho ideal da sua conexão.

Escolher um roteador de qualidade e que atenda à sua demanda é o primeiro passo para ter uma conexão wi-fi de qualidade. Afinal, é esse aparelho que faz todo o trabalho de distribuição do sinal da internet. Por isso, muitas vezes, ele é o responsável pela lentidão.

Como deixar o wi-fi mais rápido

A boa notícia é que realizar alguns procedimentos simples deixará sua conexão melhor. Conheça essas 5 dicas incríveis.

1. Escolha bem o roteador

Como mencionado, a escolha do roteador adequado é um dos principais pontos para conseguir o melhor desempenho da sua internet. Existem muitos modelos no mercado, mas é importante avaliar bem a qualidade e se as configurações atendem à sua demanda.

Entre as principais marcas encontradas no mercado brasileiro e que são líderes em vendas estão D-link, TP-link, Cisco e Intelbrás.

 2. Instale em local adequado

O sinal de wi-fi é passível de interferência, por isso, a escolha do local onde ele ficará é muito importante. Atente para as seguintes situações:

  • dê preferência a instalar nos locais centrais do ambiente;
  • quanto mais alto e menos obstáculos, melhor;
  • evite colocá-lo ao lado de equipamentos com motor interno, como telefones ou televisores;
  • evite obstáculos;
  • mantenha distância de janelas.

3. Analise a performance do wi-fi

Outro ponto importante a verificar é como está a performance do seu roteador e, assim, encontrar possíveis pontos de melhoria. Avalie, principalmente:

  • potência do sinal: quanto mais perto do roteador, mais forte será o sinal. Obstáculos e outros sinais de radiofrequência podem interferir no desempenho. A instalação em local adequado e instalação de repetidores auxiliam nesse quesito;
  • alcance do sinal: em média, os roteadores estimam um alcance de redes wi-fi de 30 metros em ambientes fechados e 150 metros em ambientes abertos. No entanto, esse alcance pode ser reduzido pelos fatores já mencionados. Além das dicas anteriores, avalie a necessidade de utilizar antenas externas;
  • frequência do sinal: existem, por padrão, dois tipos de frequência de wi-fi: 2,4 GHz e 5 GHz. Como trata-se de frequência, não significa que o número maior é o mais forte. O sinal 5 GHz possui mais intensidade em curtas distâncias, enquanto o 2,4 GHz carrega menos dados por vez, mas alcança distâncias maiores. Não há um sinal “melhor”, e sim aquele que mais atende às necessidades.

4. Faça priorizações

Quanto mais aparelhos conectados, mais lentidão, pois todos eles dividem a mesma banda da internet. Então, é possível fazer a priorização de dispositivos e/ou programas na maioria dos roteadores disponíveis, por meio de Qos (Quality of Service). Ao entrar nas configurações do seu equipamento, você verá essa opção, aí é só fazer as escolhas de acordo com as necessidades da empresa.

5. Utilize senhas

Evite “ladrões” de sinal. Tenha senhas nos seus roteadores e escolha-as com certo grau de dificuldade. Caso já tenha, mas não muda há muito tempo, é aconselhável fazer a alteração regularmente. Uma dica é alternar entre caracteres maiúsculos, minúsculos, especiais e números.

Manter a velocidade e qualidade da sua internet é garantir o bom andamento e fluidez dos negócios da empresa. Por isso, certifique-se de deixar o wi-fi mais rápido: tenha um roteador de qualidade e adequado às suas necessidades, coloque em prática as dicas sugeridas e fique livre da lentidão.

Gostou dessas dicas de wi-fi? Então, siga-nos nas redes sociais, FacebookTwitterInstagram, e veja mais informações sobre esses e outros assuntos.

Aproveite e assine a nossa newsletter e receba novidades do blog.

O que é melhor: prospectar clientes ou manter os atuais?

O que vale mais a pena: prospectar clientes ou é melhor manter os atuais? Muito se fala sobre divulgação e expansão, dando a ideia de que é necessário correr atrás de novos consumidores o tempo todo. Essa é mesmo a forma mais lucrativa de atuar?

Neste conteúdo, vamos responder a essa pergunta e analisar, sob diferentes aspectos, o que é mais vantajoso. Além disso, veremos algumas dicas práticas para trazer mais resultados no local onde você trabalha. Acompanhe e confira!

Conquistar novos clientes ou manter os atuais?

Quando aos custos

Toda venda tem um custo para acontecer. É o famoso ROI (Return Over Investment, ou Retorno Sobre o Investimento).

Segundo Philip Kotler, considerado o “pai” do marketing, conquistar novos clientes é de cinco a sete vezes mais caro do que manter um consumidor atual. Em outras palavras, investir na fidelização aumenta o retorno sobre o investimento, pois garante mais resultados com menos recursos.

Quanto aos esforços de marketing e vendas

Além do custo, em si, vender para pessoas que ainda não conhecem a sua empresa exige esforços maiores no trabalho de marketing e vendas.

Nessas situações, é preciso educar o cliente sobre os benefícios do seu produto ou serviço. Conquistar a sua confiança e quebrar possíveis objeções que o impedem de fechar o negócio com a sua marca. Tudo isso faz com que a conquista de novos públicos seja mais desgastante, que fidelizá-los.

Quanto à previsibilidade

Um dos sonhos de qualquer empresa é conquistar previsibilidade de faturamento. Fidelizar clientes permite à gestão projetar o volume de vendas e os compradores tendem a fazer aquisições todos os meses.

Por outro lado, a tentativa de fechar novos negócios nem sempre traz os resultados esperados. Há, por exemplo, meses em que os gastos com marketing e vendas são elevados, mas o número de conversões não acompanha esse investimento.

Como manter e fidelizar os clientes atuais?

Agora que vimos como a fidelização é mais vantajosa do que conquistar novos clientes, é hora de saber como colocá-la em prática, certo? Vejamos, então, algumas dicas simples — mas eficientes:

Conheça bem o seu público

Conhecer os seus clientes vai muito além de saber os seus nomes. É necessário compreender as necessidades de cada comprador e as dificuldades enfrentadas. Isto, além dos benefícios que ele gostaria de obter.

Desse modo, além de fazer com que os clientes comprem mais vezes, você também pode conquistar tickets médios cada vez maiores.

Ofereça benefícios e vantagens verdadeiras

Todo cliente gosta de ganhar mimos ou presentes — desde que essas vantagens sejam reais, e não apenas jogadas de marketing.

Um exemplo simples que costuma funcionar é oferecer um cartão de desconto (por de exemplo, de 10% a 15%) para a próxima compra. Outra ideia seria enviar um brinde aos clientes que compram mais de uma vez da sua empresa.

Pesquise a concorrência

A briga por clientes sempre existirá, especialmente durante os períodos em que a economia sofre com oscilações. Por isso, saber o que seus concorrentes estão fazendo é uma bela vantagem.

Analise o atendimento, os produtos e os preços praticados pelos outros players. Não deixe de investigar também quais são os problemas que esses competidores enfrentam. Assim, ao otimizar os pontos falhos de outras marcas, você ganha uma excelente oportunidade de se destacar delas e fidelizar mais consumidores.

Enfim, você entendeu que fidelizar o seu público é mais efetivo que conquistar novos clientes. Agora basta colocar estas dicas em prática!

Se você gostou deste post, aproveite para cadastrar o seu e-mail para receber a nossa newsletter e continuar por dentro dos nossos próximos conteúdos!

Saiba como atrair gamers para a sua loja de informática

O consumo de PCs gamers cresce ano após ano e movimenta cada vez mais a economia. Segundo o Terra, essa indústria já concentra mais de 66,3 milhões de jogadores que investem US$ 1,3 bilhão por ano. Os números impressionam, não é?

Entretanto, isso não é tudo. A melhor notícia é que o Brasil tem o principal mercado de jogos da América Latina! Isso representa uma excelente oportunidade para quem comercializa produtos relacionados ao universo gamer.

Já não há dúvidas que esse público está disposto a comprar. Sendo assim, só falta saber como atrair os fãs do mercado gamer para a sua loja. Para isso, confira as dicas a seguir!

Conheça as características do público gamer

Segundo a Pesquisa Game Brasil, a maioria das pessoas joga em mais de um dispositivo, sendo que o smartphone é o mais popular (77,9%), seguido de perto pelo computador (66,4%). O console fica mais distante, em terceiro (49%).

No entanto, o estudo chama a atenção para um detalhe interessante. Nem todas as pessoas se consideram gamers. Entre os participantes que realmente aderem ao rótulo, o computador e o console são os dispositivos preferidos para os jogos — sendo que esse grupo normalmente joga todos os dias da semana!

Aproveite as datas promocionais

De acordo com um infográfico da Pesquisa Game Brasil, de cada 10 gamers, 4 fizeram alguma compra de jogo na Black Friday 2017. Em 2018 a situação é ainda mais animadora para as lojas de informática, já que 7 de cada 10 jogadores relataram que pretendem gastar dinheiro com produtos.

Dessa forma, criar campanhas especialmente para as datas promocionais é extremamente válido quando se trata de atrair fãs do mercado gamer. Ah, e vale lembrar que esse público também acompanha os eventos mundiais (como a Black Friday), e não apenas os feriados nacionais.

Aposte em produtos segmentados

O público apaixonado por jogos é exigente e gosta de investir em itens especializados. Quer um exemplo? Entre um teclado padrão e outro que foi desenvolvido especialmente para jogar, os gamers preferem a segunda opção, mesmo que ela custe mais caro. Para o lojista, essa é uma ótima oportunidade de vender mercadorias com maior margem de lucro.

No entanto, para que isso aconteça, é necessário apostar em itens segmentados. Alguns exemplos são: gabinete gamerteclado gamermouse gamerheadsetcontroleplaca de vídeofonte e cooler.

Capacite seus vendedores

Como mencionado anteriormente, os consumidores de jogos são exigentes. Eles estão acostumados a ler, assistir vídeos e pesquisar sobre os mais variados itens que fazem parte desse mercado.

Por isso, para explorar todo o potencial desse mercado, você deve preparar sua equipe. Os vendedores devem conhecer as necessidades do público gamer e compreender as principais vantagens e limitações de cada produto. Dessa forma, poderão garantir que os clientes tenham uma excelente experiência de compra na loja, conquistando a confiança deles.

Por fim, lembre-se de que o mercado gamer está sempre em evolução. Cada vez mais pessoas têm jogado, incluindo um número maior de mulheres e de pais que jogam com seus filhos. Além disso, novos jogos e produtos são lançados constantemente, abrindo oportunidade para novas vendas. Fique por dentro e aproveite!

Gostou deste conteúdo? Quer ficar por dentro dos novos posts e artigos? Então, curta nossa página no Facebook e cadastre seu e-mail em nossa newsletter!

Como vender mais pela internet para lojas de informática

Hoje, a internet é um ótimo meio de atrair clientes em praticamente todos os segmentos de negócio. Afinal, estamos todos conectados a ela, de uma forma ou de outra.

No caso de quem trabalha com computadores e acessórios, essa divulgação digital faz ainda mais sentido, não é mesmo? Pensando nisso, neste post trouxemos várias dicas para lojas de informática que desejam usar a internet para vender.

A seguir, você conhecerá algumas táticas que vão impulsionar a sua comunicação on-line. Então, continue lendo e confira!

1. Invista tempo e dinheiro nas redes sociais

Existem várias redes sociais — como o Facebook, Instagram e LinkedIn — que são amplamente utilizadas pelos seus potenciais clientes. Assim, você pode escolher uma delas como foco inicial e começar a publicar posts com fotos dos seus produtos, por exemplo. Para isso, é só separar um pouco do seu tempo.

Aos poucos, além das postagens gratuitas, também é interessante que a sua loja invista em anúncios nessas mesmas redes. No Facebook ou Instagram, basta impulsionar os posts que mais engajaram os seus seguidores — dessa forma, é possível que outras pessoas também se interessem pelo mesmo conteúdo.

2. Crie conteúdos que ajudem o seu público

Já passou o tempo em que o marketing se concentrava somente em discursos de venda. Hoje em dia, as empresas que mais se destacam na internet são aquelas que procuram ajudar o público e solucionar as principais dúvidas dos potenciais clientes.

Quer um exemplo? Se quiser promover uma impressora, você pode criar um artigo de blog ou até um post de Facebook com o título “Qual é a impressora certa para a sua empresa: jato de tinta, laserjet ou térmica?”. Assim, além de ajudar as pessoas, você mostra que realmente entende do assunto!

3. Faça anúncios na rede de pesquisa do Google

O que você faz quando quer encontrar um determinado tipo de serviço (como um chaveiro ou cabeleireiro) em uma região específica da sua cidade? Nessas horas, é bem provável que você recorra ao Google.

Agora, imagine o que seus potenciais clientes fazem quando precisam de uma loja de informática. Provavelmente, eles também usam a pesquisa, certo?

Justamente por esse motivo, ter um bom posicionamento no Google é uma das formas mais rápidas e efetivas de ser encontrado por clientes. Não é à toa que essa é uma das principais dicas para lojas de informática.

Além disso, outra vantagem é que, ao realizar essa busca, a pessoa já está pronta para comprar! Sendo assim, você pode utilizar o Google Adwords para criar anúncios da sua loja e aparecer nos resultados da maior rede de busca do mundo. Para testar o serviço, basta se cadastrar e seguir as instruções que o próprio Google fornece.

4. Colha avaliações positivas

Se você tem uma página no Facebook, colher avaliações positivas para a sua loja de informática pode ser essencial para gerar reputação. Isso porque a prova social é um dos aspectos mais relevantes para quem busca um produto ou serviço, seja na internet, seja fora dela.

Basicamente, sempre que um cliente elogiar o seu serviço, peça para que ele deixe uma avaliação na página. Assim você aproveita a satisfação de um consumidor para conquistar novos públicos.

Enfim, como vimos neste post, existem várias dicas para lojas de informática que podem ser aplicadas para gerar vendas a partir da internet. Depois de conhecer as principais delas, é hora de colocá-las em prática e fazer testes, procurando otimizar continuamente suas ações de marketing digital!

E você, quais táticas tem usado para atrair clientes pela internet? Sobrou alguma dúvida? Deixe-nos o seu comentário!

Além disso, não se esqueça de cadastrar o seu e-mail em nossa newsletter para receber novas dicas para lojas de informática!

Controle de estoque: 3 dicas para gerenciar os níveis de estoque

Todo comerciante ou distribuidor sabe que é necessário ter o controle de estoque corretamente. Isso deve ser feito para evitar falta de produtos ou ainda excessos e perdas.

Mesmo conhecendo a prática os produtos com maior liquidez ou são mais específicos ficam armazenados por longos períodos. Esse trabalho não é tão simples.

Manter produto parado em seu depósito é uma grande dor de cabeça. Isso porque todo o dinheiro investido só retornará, quando o item for vendido. Provavelmente com lucro, desde que a venda ocorra antes de qualquer possibilidade de desvalorização.  

Para ajudar com sua gestão de estoque e evitar problemas como esse, apresentaremos 3 boas dicas que farão, certamente, seu estabelecimento ter mais lucro.

1. Mantenha o estoque organizado

Parece óbvio, mas a desorganização no estoque é uma falha cometida por muitos proprietários e responsáveis pelos produtos armazenados. O estoque organizado permite sua fácil identificação, agilizando a reposição em prateleiras ou, até mesmo, a busca pelo item enquanto o cliente está aguardando por ele.

Existem várias maneiras de organizar seu estoque, mas não é necessário complicar: como medida prioritária, utilize um software para gestão de estoque que permita contagem e confronto com o inventário realizado manualmente e que rapidamente lhe auxilie nas operações de compra e de venda. 

Podemos citar como exemplo o NEX, software bastante funcional, mesmo na versão gratuita Outros mais consolidados no mercado, como o ContaAzul são recheados com interessantes opções para facilitar a gestão do estoque. E também 

Mesmo com o programa, é importante tomar algumas outras medidas, como organizar o espaço fisicamente, delimitar áreas que devem ficar livres, posicionar os produtos por seção (e identificá-las no software), além de evitar desorganização do local durante a operação diária.

2. Estabeleça estoque mínimo e máximo

Outro grande segredo para manter o estoque saudável é compreender a movimentação de venda dos seus produtos. Com isso, é possível entender o giro e fazer, de forma inteligente, a reposição.

Para tal, estude tendências e o potencial de venda dos seus produtos, mantenha o estoque preventivo, mas não exagere nas compras. É possível contar com disponibilidade para atender os clientes mesmo sem alto investimento, o que, diante de um estoque com grande diversidade, seria ainda mais grave.

3. Escolha bons fornecedores

A seleção de fornecedores não deverá ser feita se baseando somente nos seus preços. A agilidade na entrega, o bom relacionamento e a compreensão, quando algo errado ocorre, também contam.

Quando o fornecedor apresenta maior velocidade, desde o momento do pedido, até a entrega, é possível manter menos mercadorias em sua empresa, e essa é uma boa maneira de reduzir o dinheiro travado em seu estoque.

Mesmo encontrando o fornecedor ideal para um ou mais de seus produtos, tenha na manga outras opções. Isso é importante para busca de preços melhores, boas oportunidades de compra e flexibilização nas formas de pagamento.

É claro que será necessário manter um bom controle de seus fornecedores. Procure sempre registrar como ocorreram as entregas, deixando claro e à mão quais são as melhores alternativas.

Mesmo com essas três dicas básicas, é fundamental buscar novos métodos e bem consolidados que permitam auxílio para gerenciar níveis de estoque. Este hábito melhorará a gestão do seu processo de compra e venda. Aproveite e leia nosso artigo com diversas dicas para auxiliar na busca por um bom distribuidor de produtos de informática.

Gostou deste post e deseja mais informações que permitam administrar melhor seu negócio? Então não deixe de assinar a nossa newsletter!

Veja os benefícios do armazenamento em nuvem para empresas

O armazenamento em nuvem consiste em armazenar todos os arquivos e poder acessá-los de onde você estiver, bastando apenas uma conexão com internet. Esse serviço não requer manutenção ou instalação em máquinas, porque o provedor do armazenamento em nuvem dispõe de toda a infraestrutura necessária para guardar os dados.

Além disso, a manutenção diária é feita pela empresa que fornece serviços, portanto, as chances de indisponibilidade do sistema são baixas. O armazenamento em nuvem disponibiliza backups sempre que necessário. A facilidade de alterar  os dados traz ótimos ganhos para a organização.

Esta simplicidade possibilita diversas vantagens para sua empresa e é o que abordaremos neste artigo. Confira!

Proteção dos dados

No caso do armazenamento em nuvem, há muitos serviços equipados, como a função de gerenciar autoridade de usuários. Ao utilizar a função de gerenciamento, você pode criar grupos por departamento ou por unidade de projeto, por exemplo.

Além disso, a edição de arquivos e acesso aos mesmos e sua autoridade são divididos em níveis. Restringir a vinculação para cada usuário ou grupo permite mais segurança às informações.

Para configurar permissões, em armazenamentos locais, é difícil, já que  precisamos  restringir o acesso por IP e autenticar o terminal de acesso. Em armazenamentos em nuvens, esse gerenciamento de permissões é feito apenas em alguns cliques.

Facilidade no compartilhamento

Compartilhar arquivos através de um pen drive ou e-mail ainda é comum, contudo é usual quando compartilhamos com poucas pessoas. O armazenamento em nuvem nos permite dividir com um grande número informações, com várias pessoas!

Você pode disponibilizar, para quem desejar, todos os arquivos necessários pelo armazenamento em nuvem. Assim, você permite que os usuários acessem apenas o conteúdo disponibilizado.

Segurança no armazenamento de dados

No Rio Grande do Sul, um incêndio atingiu um edifício que alocava Data Centers de várias empresas. Isso ocasionou a queda do sistema e a paralisação de vários serviços que necessitavam de acesso aos dados.

Isso explica porque o armazenamento em nuvem é fundamental para a segurança dos dados necessários em tarefas de alta demanda. As informações são arquivadas em servidores. Para evitar incidentes, o serviço oferece cópias de segurança para protegê-lo da perda de dados.

Se um servidor não funcionar, o serviço de armazenamento em nuvem acessa as informações requeridas em outro. Essa ação é imperceptível, pois a metodologia de segurança do armazenamento é projetada para funcionar sem interrupções.

Baixo custo

Os custos de adesão do armazenamento em nuvem são pequenos, e você pode adquirir um determinado plano de serviço com ferramentas de gerenciamento e espaço de alocação de acordo com as suas necessidades.

Tendo apenas acesso à internet, você pode obter tudo o que precisa sem custos com servidor local, equipe especializada e manutenção. As transferências feitas para a nuvem são simples, o que otimiza o tempo e possibilita maior eficiência do fluxo de trabalho.

Mobilidade

Com o armazenamento na nuvem, você tem acesso universal, de qualquer dispositivo, independentemente da sua localização. Você pode conferir, baixar e enviar arquivos de maneira prática.

Neste post você pôde entender que o armazenamento em nuvem fornece vantagens no âmbito competitivo e no fluxo de trabalho interno. Com ele, sua equipe ficará livre de complicações de acesso a informações e compartilhamentos. Aumentará a produtividade e a entrega de resultados para o seu negócio.

 Agora que você conhece os benefícios do armazenamento em nuvem, confira os 5 segredos para otimizar a gestão de TI  e  cadastre seu e-mail para receber as novidades do blog!

Conheça os principais tipos de impressoras e os seus benefícios

escolha da compra de uma impressora nem sempre é a mais fácil. Muitas vezes, você não tem certeza de quais são os tipos de impressoras, como elas funcionam e qual delas melhor se encaixa com as suas necessidades.

Se você conhecer apenas as características gerais dos diferentes tipos de impressoras, evitará maiores dificuldades. Sabendo que tipo de trabalho será desempenhado com o equipamento, será simples entender qual impressora é a ideal para você.

Veja, neste artigo, os tipos de impressoras e quais as características de cada uma. Boa leitura!

Impressora jato de tinta

impressora jato de tinta se adapta melhor a impressões de fotos ou gráficos, por exemplo, com base em um sistema de tinta líquida. Essa impressora tem cartuchos de tinta multicoloridos, que pulverizam a cor no papel, permitindo que você obtenha um bom detalhe e boa nitidez na impressão.

Você pode encontrar funcionalidades a mais, como a possibilidade de scanner e copiadora. Ela é ideal para baixos volumes de impressão, por isso são mais indicadas para o uso residencial e de microempresas.

Impressora a laser

As impressoras a laser funcionam como fotocopiadoras. Um raio laser fino atinge o texto ou os gráficos, depois salta e entra em um tambor fotossensível. Em seguida, depois de rolar o papel no tambor, o pó é aplicado ao papel. O toner é devidamente aquecido, por isso, ele se transforma em um estado líquido para fixar ao papel.

As vantagens das impressoras a laser incluem a qualidade e a rapidez de impressão. Essa impressora também pode ter funções de scanner e copiadora. Ela é indicada para empresas, escritórios e instituições onde o volume de impressão é elevado.

Impressora jato de cera

Esse tipo de impressora substitui os cartuchos de tinta e toners por pequenos blocos de cera.

Essa cera é formada por um polímero baseado em resina, semelhante a um giz de cera. A qualidade prometida é de ser melhor que a da impressão a laser, alcançando uma gama maior de cores. Pela sua qualidade e velocidade de impressão, é indicada para escritórios com grande demanda de impressão.

Impressora matricial

Impressoras matriciais operam com um princípio semelhante às máquinas de escrever, mas, em vez de martelos, elas têm pequenas agulhas que atingem a fita de tinta. Cada movimento de agulha deixa uma pequena marca no papel e, a partir de milhares de traços, sinais e imagens são criados.

Essas características fazem dela um dos modelos mais econômicos, pois a fita utilizada, além de ser barata, tem grande durabilidade. Há também a capacidade de imprimir em folha contínua e cópias usando papel carbono, bem como operação extremamente simples. A impressora matricial é indicada para o segmento comercial e industrial pela sua resistência e economia.

Impressora para automação não fiscal

A impressora para automação não fiscal é utilizada para emitir cupons. Sua principal funcionalidade é imprimir recibos, que são difíceis de serem fraudados. Ela pode funcionar com impressão matricial ou térmica, dependendo do modelo.

Esse tipo de impressora é indicado para estabelecimentos comerciais que necessitam de controles internos e externos, como lavanderias, hospitais, restaurantes, quiosques de ingressos etc.

Impressora plotter

Esse tipo de impressora é utilizado para impressão em grandes dimensões, como mapas, obras de arte e projetos de engenharia. Ela também é compatível com materiais diferentes, como PVC, vinil, lona, entre outros.

A tecnologia superior da impressora plotter permite uma excelente qualidade fotográfica, pois utiliza diversas cores de cartuchos e cabeças de impressão mais eficientes em comparação com o jato de tinta comum. São indicadas para o segmento de estúdios fotográficos e empresas de engenharia.

Alguns equipamentos podem ser conectados à rede da empresa, possibilitando que todos os usuários tenham acesso às impressoras. A conexão pode ser feita por meio de cabo ou rede wireless. Assim, é importante avaliar essas situações na hora de escolher corretamente sua impressora ideal, de acordo com o tipo de trabalho que você executa na sua empresa.

Então, gostou de conhecer os principais tipos de impressora? Já utiliza alguma delas em seu dia a dia? Deixe um comentário, compartilhe com a gente suas experiências e cadastre-se seu e-mail para receber as novidades do blog!

Conheça agora 3 aplicações da Inteligência Artificial

Certamente você já viu alguns filmes que abordam a IA, não é mesmo? É claro que a visão que Hollywood demonstra ainda não está ao nosso alcance. Atualmente evoluímos muito nesse campo e já podemos contar com diversas aplicações da inteligência artificial e vêm transformando a TI.

Nesse sentido, elaboramos este post para que você entenda o que é e como essa tecnologia está sendo aplicada hoje em dia. Continue conosco e confira!

O que é inteligência artificial?

Dentro da computação, há um ramo de estudo chamado inteligência artificial. Os objetivos dos estudos desse conceito é a criação de máquinas inteligentes, capazes de raciocinar e tomar decisões sozinhas.

O termo foi cunhado por John McCarthy, em 1956, para descrever máquinas capazes de resolver os empasses enfrentados pelos humanos. Para que estas máquinas operem são necessárias algumas tecnologias, como: Big Data, Processamento de Linguagem Natural, Análise de Dados e machine Learning.

Quais as aplicações da inteligência artificial?

São várias as aplicações da inteligência artificial hoje dentro das empresas. Hoje contamos com diversos sistemas básicos que têm características de aprendizado de máquina e IA. Entre os exemplos mais comuns, temos:

1. Análise de dados do negócio

Os Big Datas são infraestruturas de armazenamento de dados gigantescas que mantêm uma enorme massa de informação a ser “garimpada” para obter conhecimentos estratégicos para a gestão de uma empresa.

Já existem sistemas de inteligência artificial hoje que realizam ações de busca e interpretação de informações relevantes dentro dessas estruturas, facilitando o trabalho de analistas.

2. Chat on-line no varejo

Você já deve ter falado em uma janela de chat em um site não é mesmo? Tem certeza de que você falou com um humano? Provavelmente você já foi atendido por um robô.  Sistemas são pré-programados para entender questionamentos e responder aos clientes. É o chamado chatbot.

Facebook e Google são dois exemplos que utilizam ferramentas para atender aos seus usuários. O Facebook trabalha  no desenvolvimento de chatbots capazes de fechar negócio com humanos. A solução se envolve em uma polêmica por inventar uma linguagem própria, porém nada tão alarmante.

A Google aposta em uma solução capaz de conversar ao telefone com humanos, o que revolucionaria no atendimento. Chamada de Duplex, a solução interpreta e se comunica de forma natural, mas ainda está em fase de testes.

3. Linhas de produção

As linhas de produção têm de se tornar cada vez mais eficientes para obter melhores resultados e, com isso, a única saída é automatizar totalmente a planta e utilizar robôs inteligentes para o trabalho.

Na Alemanha, a BMW conta com a fábrica mais automatizada do mundo. Os veículos da linha “i” são produzidos sem nenhuma interação humana. Toda a produção é realizada por robôs e inteligência artificial com conexão de alta velocidade com a internet. Esse processo exige boa infraestrutura de redes com roteadores de última geração.

O que podemos esperar do futuro?

Podemos esperar que, em um futuro próximo, a IA tenha um papel cada vez mais importante na vida das pessoas e auxilie as empresas a obterem maiores resultados em seus ramos de atuação.

Espera-se, ainda, que o aprendizado das máquina possa permitir a redução de custos operacionais e que os sistemas e robôs inteligentes acabem por criar um novo mercado de trabalho, que exija uma qualificação diferente dos trabalhadores, voltado para a tecnologia.

Chegamos ao final deste post e esperamos que você possa ter compreendido como a IA está transformando o mundo em que vivemos. Além das aplicações da inteligência artificial descritas aqui, ainda podemos esperar muito do futuro, como análises financeiras, exploração de outros planetas, recuperação de naufrágios, medicina remota, segurança da informação, entre outros.

Gostou deste post? Então não perca tempo e compartilhe-o com todos os seus amigos nas redes sociais!

Entenda para que serve o roteador de internet nas empresas

Você sabe para que serve o roteador ? Esse equipamento é um dos principais ativos de rede dentro de uma empresa. Contar com um bom dispositivo é fundamental para garantir a qualidade do sinal de internet.

Para ajudar você a entender melhor a função do roteador dentro da infraestrutura de rede, criamos este pequeno post. Continue conosco e confira!

Para que serve o roteador e como ele funciona?

Responsável por encaminhar as informações empacotadas na rede de computadores. O equipamento permite a conexão entre todos os dispositivos que estejam vinculados em LAN ou na internet.

Entre suas principais características está a busca pelas melhores rotas na hora de receber e enviar dados, sendo possível realizar a priorização do envio de determinados pacotes de acordo com as distâncias a serem percorridas ou o congestionamento de rede.

Quais as suas funções?

A principal função do roteador dentro de uma infraestrutura de rede é ser um intermediador entre todos os dispositivos conectados por fios ou por meio de uma conexão wi-fi.

Sem sua presença, não seria possível realizar a troca de dados entre os demais equipamentos. Além disso, a escolha pelas melhores rotas na hora de enviar pacotes de informações é a principal de suas funções.

Quando realizamos a contratação de um link de internet, recebemos um único ponto, e o compartilhamento desse acesso dentro da empresa também pode ser realizada por meio da instalação de roteadores que distribuam o sinal por meio de fios ou wireless.

Quais as vantagens dos roteadores wireless?

É impossível falar sobre roteadores sem comentar a tecnologia wireless e sua importância para a mobilidade dentro do local de trabalho. Graças ao uso desses equipamentos, é possível utilizar dispositivos móveis e diminuir a necessidade de fios, melhorando, assim, a mobilidade.

A principal tecnologia utilizada nos roteadores wireless mais modernos é a AC, sigla em inglês que se relaciona ao conceito de acelerar. Alguns dos principais benefícios desses novos modelos são a velocidade, o alcance de sinal, o maior número de dispositivos conectados e a economia de energia.

Podemos citar como as principais marcas de roteadores wireless presentes no mercado:

  • D-link — fundada em Taiwan, é uma das maiores fabricantes de roteadores do mundo;
  • Intelbrás — empresa catarinense que desenvolve soluções em rede e fabrica roteadores;
  • Tp-link — empresa chinesa de produtos com foco em redes, inclusive em roteadores.

O que avaliar em um roteador?

Existem diversas opções de roteadores no mercado, bem como fabricantes e distribuidores. Em um cenário com tanta oferta, como escolher um bom equipamento para as suas demandas específicas? Veja alguns pontos que devem ser observados:

  • distância de alcance: o protocolo wi-fi pode determinar a eficiência do equipamento. Porém, ele não leva em conta obstáculos do ambiente. Busque entender qual é a capacidade de alcance do roteador;
  • potência: essa é outra métrica que muda de acordo com cada equipamento. Ela pode ser medida em dBI. Quanto maior for, mais potente é o roteador;
  • antenas e intensidade do sinal: a quantidade de receptadores auxilia na performance do aparelho. Eles não precisam estar expostos, mas o tamanho e a quantidade são fundamentais para a qualidade do sinal.

Como escolher o melhor roteador para a empresa?

Na hora de escolher o melhor roteador para a sua empresa, é preciso analisar diversos fatores, como o local em que vai ser instalado o equipamento, a necessidade de conexões sem fio e o volume de transferências de pacotes.

Analisar todos esses quesitos demanda um bom conhecimento de redes por parte de seu setor de TI. Por isso, pode ser uma boa ideia contar com a consultoria de uma empresa que forneça roteadores e outros equipamentos de rede.

Agora que você já sabe para que serve o roteador, basta buscar por um bom modelo que possa suprir todas as suas demandas e garantir uma boa utilização de sua rede interna.

Siga-nos no FacebookTwitterInstagram e LinkedIn e fique por dentro de todas as nossas publicações!